Concerto - One For Apocalypse

6ª feira, 6 de Março, 20h00 - Entrada livre

  
One For Apocalypse (Asturias)
Post Rock delicado e poderoso com influências de bandas como Mogwai, Bossk ou Caspian.

Cinemorfes - Bill Hicks: Revelations

4ª feira, 4 Março, 19h00 - Entrada livre



A partir das 19h00 a cozinha está aberta a sugestões para o menu e a ajudas na preparação do tacho. Depois o pessoal serve-se e no final lava o seu prato. Para rematar servimos uma dose de comédia negra. 

Bill Hicks, comediante, músico, sátiro, artista inconveniente, pensador livre, politicamente incorrecto, genial, inspirador.  Revelations foi gravado ao vivo em Londres no ano de 1992, e inclui piadas e comentários sobre a guerra no Iraque, a governação de Bush, drogas, música, conspirações e principalmente as formas que os governos utilizam para manipular e doutrinar as mentes.
Goste-se ou não, no final, a vida é apenas uma viagem.












Heterónimos de Anonymous

Para além dos milagres que a malta dos zeros e uns faz com os nossos computadores jurássicos, a CasaViva tem muito pouco de anonymous. Tocam-nos, por vezes, as mesmas preocupações. Mas raramente convergimos em análises e formas de acção.
No entanto, enquanto vítimas de perseguição policial com imediata condenação mediática, achamos por bem tornar pública a nossa solidariedade e juntar a nossa voz às que condenam o raide policial de que foram vítimas e exigem a libertação imediata dos activistas detidos.
Interessam-nos pouco as certezas do ministério público. E não queremos provas de nada. Nem de culpa nem de inocência. Na guerra entre os poderosos e os que os combatem, estaremos sempre do lado dos segundos. Cumpram ou não a lei.

Contra a censura e a repressão policial

Depois da última faixa colocada na fachada da CasaViva ter sido roubada pela polícia, no dia 25 de Fevereiro, às 23:34h, uma nova faixa foi colocada na fachada do edifício, denunciando a censura e a repressão policial.


Concerto - Sauerkraut Sanduich

Sábado, 21 Fevereiro, 19h00 - Entrada livre


Feira da Loja Livre

Sábado e Domingo, 21/22 Janeiro, 14h00-19h00, Entrada livre


Cinemorfes - Inconsciente

4ª feira, 18 Fevereiro, 19h00 - Entrada livre

O Cinemorfes desta semana chega-nos de Barcelona e apela ao Inconsciente. Assim, se queres ajudar na preparação do jantar e o teu inconsciente assim o quiser, aparece a partir das 19h!!

Inconscientes é uma comédia de 2004 dirigido por Joaquín Oristrell . A trama segue a esposa grávida de um psiquiatra freudiano de renome, que pede ajuda ao seu cunhado para descobrir a misteriosa fuga de casa do seu marido. Quanto mais ela escava para descobrir a verdade sobre o marido, mais ela descobre as mentiras inesperadas que cercam o cunhado, o pai, a irmã, e a ela mesma.

Roubo da Faixa - Je suis ainda mais Cova da Moura


A faixa colocada na fachada da Casa Viva, na quinta-feira 12 de Fevereiro 2015 (em solidariedade com as pessoas agredidas na Cova da Moura pela actuação violenta, abuso de poder e propósitos racistas cometidos por parte de uma instituição do Estado chamada polícia com as seguintes palavras: "A bófia invade e brutaliza. A imprensa inverte a situação. O Estado criminaliza. A sociedade engole silenciosa. Je suis Cova da Moura") foi roubada no sábado 14 de Fevereiro à tarde.

Não sabendo quem cometeu este acto danoso para com a nossa indignação e certamente a nossa capacidade financeira envolvendo o preço do pano, da tinta, da corda, além do nosso tempo e dedicação solidária, sim, desta vez, suspeitando de alguma mão claramente racista actuando por conta própria pela cidade do Porto, a Casa Viva decidiu apresentar uma queixa formal na esquadra mais próxima do local da ocorrência.

Para nossa surpresa foi-nos dito que não podíamos apresentar queixa, porque a faixa não fora roubada, mas apreendida! Foi então que se tornou claro que essa instituição do Estado, além do braço armado de uma ideologia racista, também se outorga o direito de ser as tesouras da censura. Dado que nenhuma notificação nos foi entregue, convenhamos que a diferença é muito ténue entre roubo e apreensão. Tal como é muito ténue, neste caso, a distinção entre ofensa e censura. Parece que a solidariedade consensualmente imposta obedece a padrões especificamente brancos e religiosamente cristãos que permitem ser Charlie, mas jamais ser Palestina ou Cova da Moura.

Na esquadra da Rua do Paraíso foi-nos especificado que a faixa fora apreendida por ter sido considerada «ofensiva para a instituição». O roubo legalizado pelos censores armados do Estado decorreu no sábado 14 de Fevereiro às 14 horas. A Casa Viva foi informada que o processo se encontrava consultável no site do ministério público com a seguinte referencia NPP 69096/2015. Procurámos e nada encontrámos!

Não estamos dispostas a um jogo onde a nossa forma de pensar é a bola. Se a polícia se sente ofendida pela palavra "bófia", faltam certamente dicionários, mas falta ainda mais humanidade. Pelo nosso relógio são horas de responder com as armas de quem não tem armas.

Reafirmamos: JE SUIS AINDA MAIS COVA DA MOURA