Jantar e Conversa: Repressão e Resistência na cidade de Hamburgo

5a feira, 17 de Abril, 20.30


A Casa Viva irá receber gentes de Hamburgo para uma conversa sobre Repressão e Resistência nesta cidade alemã.

Haverá jantar com menu exclusivo CV apresentado na hora, oportunidade para se discutir o que se quer fazer (ou não) desse grande antro que é a cidade enquanto se dá ao dente. Até lá!

A grande cidade sempre foi simultaneamente sonho e pesadelo. O sonho: se consegues fazer lá irás conseguir fazê-lo em qualquer parte. O pesadelo: se não és bem sucedido, é a “penúria”, tal como George Orwell descreveu  de forma tocante no seu romance com o mesmo nome de 1933  Ainda assim, para milhões de moradores das cidades o pesadelo assombra cada vez mais à medida que uma série de tendências tornam as cidades insustentáveis em todos os sentidos – socialmente, economicamente e ambientalmente. Agora, pela primeira vez na história , mais de metade da população vive em cidades. Em 2050, segundo uma previsão das NU, cerca de 70 por cento dela irá passar a sua vida em aglomerações urbanas. A que tipo de vidas isto levará se as coisas assentarem numa repetição dos padrões do passado?

Repressão & Resistência na cidade de Hamburgo

Hamburgo é uma das cidades mais ricas da Alemanha. Mas Hamburgo também é uma das cidades onde as classes mais desfavorecidas economicamente, mais sofrem, com frequentes ataques e tensões sociais.
Actualmente, estão a agravar-se vários conflitos, nomeadamente relacionados com a questão do direito à cidade vs desenvolvimento capitalista de cidade e política xenófoba do regime europeu de migração.

Estes conflitos são:

1) A situação legal do Rote Flora (http://florableibt.blogsport.de/english/), um dos centros culturais
autónomos mais antigos da Europa, que está ainda hoje em estado de ocupação.
2) O acelerado processo de gentrificação (ou enobrecimento) de toda a cidade, processo que levou à expulsão de uma grande fatia da população pobre dos antigos bairros operários no centro da cidade, como St. Pauli, (onde se situa o Rote Flora), mas também a Reeperbahn (zona de bares,
discotecas e da prostituição legal).
3) A miséria de um grupo de imigrantes africanos (à semelhança de milhões que lidam com este regime em toda a Europa) que, vindo da Líbia, chegaram à união europeia (UE), passando pela ilha Lampedusa.

(http://www.lampedusa-in-hamburg.tk/)
Public declaration march 2014:http://lampedusa-hamburg.info/en/
http://wiki.rechtaufstadt.net/index.php/Introduction_to_Recht_auf_Stadt_Hamburg 

Festa Benefit pr'a Banca

sábado, 19 abril 16h00 entrada livre

 
O sistema financeiro está em "crise" (dizem eles na TV). Por isso fazemos este benefit para ajudar os coitados dos banqueiros. 

 Agentx do Khaus ( punk degredo de espinho)  
www.facebook.com/agentxdo.khaus.7  

Erro Crasso (mais punk degredo)  
www.facebook.com/ErroCrasso  

O gringo sou eu 

(musica tipo hip hop interventiva do Rio de Janeiro 'tá ligado?) 
www.facebook.com/franklin234  

Queens n'Aces ( heavy metal rock n'roll ala Sons of Anarchy)  

www.facebook.com/QueensNAces  

Misantropia (e mais punk degredo)  
www.facebook.com/MisantropiaGrind  

Riot Samba (samba sambinha das favelas do Porto) 

+ CONFIRMAÇÕES EM BREVE 

+ KARAOKE XUNGA E DEGREGO até ao dia seguinte. 

+ SURPRESAS pela noite dentro. 

e trás um amigo também...

Sábados com anarquia

6ª, 18 abril 20h00 entrada livre






















Com jantar às 20h e apresentação do texto A contínua atracção do
nacionalismo de Fredy Perlman.

Para espicaçar a leitura do texto e dar um cheirinho do que o mesmo aborda, aqui vai um pequenino excerto:

"Os esquerdistas ou revolucionários nacionalistas insistem que o seu nacionalismo não tem nada em comum com o nacionalismo dos fascistas e dos nacional-socialistas, que o seu é um nacionalismo dos oprimidos que oferece uma libertação pessoal e também cultural. As reivindicações dos nacionalistas revolucionários têm sido difundidas pelo mundo pelas duas
instituições hierárquicas mais antigas que sobreviveram até ao nosso tempo: o estado chinês e, mais recentemente, a Igreja Católica.

Actualmente, o nacionalismo tem sido apontado como estratégia, ciência e teologia de libertação, como realização do ditado iluminista de que o conhecimento é poder, como resposta comprovada à pergunta: "Que fazer?" Para desafiar essas reivindicações e vê-las em contexto, necessito questionar o que é o nacionalismo – não apenas o novo nacionalismo
revolucionário, mas também o antigo nacionalismo conservador. Não posso começar por definir o termo, porque nacionalismo não é uma palavra com uma definição estática: é um termo que cobre uma sequência de diferentes experiências históricas."

Disfrutem!


Sábados com anarquia.


A continua atração do nacionalismo 

Todos os rios vão dar ao carmo

4ª, 16 de Abril 21h00 entrada livre 























Que o Douro se faça Tejo

Este é um apelo explícito ao esvaziamento das comemorações do 25 de Abril no Porto. Este ano, se há potencial de criação de situações inesperadas que possam servir de fermento para novas atitudes, ele está em Lisboa, com o “Todos os Rios vão dar ao Carmo riosaocarmo.wordpress.com/

Para informar, discutir e mobilizar, organizou-se uma sessão, lançada por um gajo que sabe umas coisas do que se vai passar e com esperança de poder responder a questões de pessoas que ainda sabem menos.

A ver se nos animamos a ir.

Rádio Amotinada

5ª, 17 abril a partir das 22h00 

Flyer do programa rádio amotinada
As instalações da rádio casaviva vão ser invadidas pela ânsia de provocar faíscas nas ruas.

Vamos tomar conta do microfone e fazer um programa dedicado a tudo que é motim, rebelião, distúrbio e insurreição.

Será uma emissão em directo e imprevisível, por isso prepara o teu cocktail molotov e mantém o isqueiro por perto.

Que nenhum contentor do lixo escape e nenhuma instalação bancária esteja a salvo.

Podes ouvir aqui: http://radiocv.punked.us/

Ciclo de cinema: Mês do auto-controlo (if you hesitate, make sure you masturbate)

2ª, 14 de Abril 21h30  entrada livre
2ª sessão - Nymphomaniac Vol II de Lars Von Trier [118']
Sem legendas - áudio em Inglês

 

 

Ciclo de cinema: Mês do auto-controlo (if you hesitate, make sure you masturbate)

O auto-controlo é cada vez mais, nesta sociedade, sinal de bons modos e possibilidade de sucesso em todos os níveis, tanto ao nível pessoal como profissional. Contudo o Eu racional de cada um de nós será sempre um escravo das emoções segregadas pelo instinto irracional das emoções.

2ª, 7 de Abril 21h30 entrada livre
1ª sessão - Nymphomaniac Vol I [110']  de Lars Von Trier
Sem legendas - áudio em Inglês

























Próximas sessões:
2ª, 14 de Abril 21h30 - 2ª sessão
Nymphomaniac Vol II de Lars Von Trier [118']
Sem legendas - áudio em Inglês

2ª, 21 de Abril 21h30 - 3ª sessão

TEDx Multi-vídeos About Self-Control
Sem legendas - áudio em Inglês
1. A motion for masturbation - the naked truth
2. Boys, sex and control
3. The Great Porn Experiment
4. Are we in control of our decisions?
(cada video 10 a 20 minutos)


2ª, 28 de Abril 21h30 - 4ª sessão 

TEDx - The Female Matrix [50']
Sem legendas - áudio em Inglês
Uma abordagem científica acerca do orgasmo (boys/girls)

Livro do mês: "Autobiografia de um Irredutível"


Porque um livro também respira, volta e meia a Biblioteca da CasaViva destaca um exemplar de uma das suas prateleiras e chama-lhe "livro do mês". 
Em Abril 2014 escolheu:

Autobiografia de um Irredutível
                                              de Cláudio Lavazza

Como o título indica, trata-se da autobiografia de Cláudio Lavazza, um anarquista italiano, participante activo nos chamados «anos do chumbo» em Itália. Enquanto membro dos grupos Proletários Armados pelo Comunismo (P.A.C) e Comunistas Organizados pela Libertação Proletária (C.O.L.P) teve que se exilar em 1982 devido à repressão.  Em 1996, é detido na aldeia de Bujalance, na cafetaria Sete Portas, após uma fuga falhada, na sequência da expropriação da sede do Banco Santander de Córdoba,  em que mata dois polícias em defesa da vida dos seus companheiros e da sua.  Actualmente, encontra-se sequestrado pelo Estado Espanhol. Tem passado estes anos nos corredores ilegais de isolamento do FIES, acrónimo de «Fichero Interno de Especial Seguimento», este sistema carcerário,  possivelmente mantido secreto até 1967, validando as suas origens ditatoriais e alimentando o disfarce democrático do Estado Espanhol, ocultando cruel e ilegalmente detidos políticos. Este sistema penitenciário carece de dispositivos de controlo assegurando os direitos e a dignidade do ser humano. Na escuridão aterrorizadora deste dispositivo estatal, Claudio Lavazza tem participado em protestos pelos quais tem sido ainda mais criminalizado.

Mais informação:
Breve entrevista da Contra Info a Cláudio Lavazza
O livro encontra-se disponível para leitura na Biblioteca da Casa Viva.

Oficina de Electricidade

domingo, 6 abril das 9h00 às 18h00 entrada livre mas era fixe que os participantes trouxessem alguma(s) das seguintes coisas:

Cabo eléctrico - Fase, neutro e terra de 1,5 mm
Tubo rígido ou flexível
Abraçadeiras para tubo rígido e/ou flexível
Uniões para tubo rígido e/ou flexível
Tomadas, Fichas, Interruptores, Caixas de derivação e Ligadores
Barras de cola a quente
Busca pólos, Chaves de Fenda e Alicates

Esta oficina terá uma carga horária de 8h, distribuída por blocos de 4h (9h00/13h00 e 14h00/18h00) e será teórico-prática.























Com esta oficina pretende-se dar conhecimentos de electricidade de forma a compreender fenómenos, conceitos e metodologias relacionadas com a área.

Pretende-se que permita adquirir um conjunto de conhecimentos básicos de corrente eléctrica de forma a compreender o funcionamento de circuitos fundamentais.

Programa 
Cuidados a ter com a electricidade
Iniciação à electricidade - Medir  e interpretar grandezas eléctricas.
                                         Analisar circuitos eléctricos
Circuito básico
Viagem na electricidade 

Almoço incluído